O que você precisa saber antes de adotar um vira-lata.

Tendo as mais variadas cores e tamanhos, sendo espertos, carinhosos e leais, não é à toa que os vira-latas, também conhecidos como SRD (Sem Raça Definida) estão presentes em 41% dos lares brasileiros. Eles possuem características únicas que só descobrimos por meio da convivência e diferentemente de um cão de raça, os vira-latas não têm um padrão de comportamento ou uma personalidade definida. Sendo assim, é importante que antes de adotar um cão, haja espaço suficiente para ele andar à vontade e que o dono tenha tempo disponível para dedicar ao animal.

Como saber se preciso passear com meu cão?

Todos os cães precisam se exercitar, caminhar e gastar energia, isso não apenas deixará seu mais calmo, mas também ajudará a mantê-lo saudável. Para cães de raça como o basset hound, 20 minutos podem ser o suficiente, já um galgo, precisa de pelo menos 60 minutos. Podemos ver, então, que o tempo de exercício dos cães pode variar muito e assim como há diversas raças, há diversos tipos de vira-lata, portanto cabe ao dono entender qual a necessidade do seu cão e aumentar ou diminuir o tempo do passeio e/ou exercícios, conforme o necessário.

Um cão agitado demais que costuma pular nas pessoas e morder objetos, nada mais é do que um cão cheio de energia acumulada. Não adianta pedir para que fique quieto — é seu papel dar atenção e ajudá-lo a gastar essa energia! Se ele se exercitar e gastar toda sua energia acumulada, seu comportamento com toda certeza será mais tranquilo.

É possível treinar um vira-lata?

Se mesmo levando seu cão para passear diariamente, ele continuar fazendo bagunça ou se portar mal, o treinamento é o próximo passo. Lembre-se que todo cão é treinável, mas alguns podem exigir maior esforço do que outros.

A primeira coisa que devemos ter em mente é: nunca recompensá-lo quando ele estiver fazendo algo que o dono não queira. Por exemplo, se o seu cão sempre pula em você quando chega em casa e você quer que ele pare com esse comportamento, tente ignorá-lo — não fale com ele até que sente e se acalme, e só então acaricie-o e dê um petisco, para que entenda que o comportamento adequado é ser calmo.

Às vezes ter um cão latindo pode ser um grande incômodo. Se você tem certeza que seu cão está latindo para conseguir algo (e não porque está com algum problema de saúde ou há algo de estranho acontecendo no ambiente), deve-se usar o mesmo método acima: ignore-o até que ele se acalme e pare de latir, e só então se aproxime e recompense-o com o que ele deseja, que neste caso é a atenção. Assim, com o tempo assimilará que quando não late é que consegue o que quer.

Um vira-lata é um bom cão de guarda?

Vira-latas costumam ser muito fiéis aos donos, mas tenha em mente que um cão de guarda não é um cão que fica amarrado junto ao portão o dia todo. Um cão nessa condição, que late para qualquer um que passa na rua, não faz isso para proteger a casa — e sim porque ele tem muita energia acumulada e vai usá-la de todas as formas disponíveis, inclusive avançando em estranhos.

Cão vira-lata preso a casinha.

Um treinador especializado muitas vezes pode ser a melhor escolha para tornar o seu cão num cão de guarda. Apesar disso, muitos cães podem proteger seus donos de estranhos mesmo sem treinamento algum e sem a necessidade de ficarem amarrados juntos à casinha.

Obediência x medo

A personalidade de um vira-lata para o outro pode variar muito, alguns são bem tranquilos e espertos, não sendo necessário tanto treinamento mas às vezes podemos confundir um cachorro calmo com um medroso.

Um vira-lata resgatado pode ser muitas vezes um cão traumatizado, que tem medo de pessoas (sejam estranhos ou não), ou até mesmo de certos objetos. Por exemplo, um cão que corre assim que o dono pega uma vassoura, não é um cão esperto — é (infelizmente) um cão que apanhou tanto que não entende que a vassoura tem outros usos além de bater nele. Um cão com medo pode ter duas atitudes: morder para se defender ou fugir; em ambos os casos, é preciso muito cuidado ao lidar e ajudá-lo a superar seu medo.

Lembre-se que você nunca deve bater no seu cão, assim você criará apenas um animal assustado e receoso e não um cão alegre, afável e companheiro.

Vira-latas precisam ir ao veterinário?

É dito que cães vira-latas costumam ser mais saudáveis, mas isso não significa que eles nunca fiquem doentes, e sim que não são tão propensos a ter certas doenças que cães de raça têm, como câncer ou displasia, mas podem sim ficar doentes. É um erro comum achar que pelo cão ter vivido nas ruas é mais resistente e se curará de qualquer doença sozinho, ou que se der algum remédio qualquer, será o suficiente.

É de suma importância levá-lo ao veterinário se houver qualquer comportamento estranho ou se estiver machucado. Nunca deve-se adotar um cão e esperar que ele se cure sozinho quando se machucar ou ficar doente. Independentemente de qual seja a idade ou personalidade do seu cão, é preciso levá-lo regularmente ao veterinário e assegurar-se também que todas as vacinas estejam em dia.

Seja um vira-lata ou um cão de raça, todos requerem tempo e dedicação, precisam ser amados e cuidados como um ser vivo e ter uma vida feliz. Antes de adotar um cão, tenha certeza que poderá ser um dono bom e afetuoso. Um cão não deve ser um presente, um objeto ou um alarme de segurança. Um cão deve ser um amigo, um companheiro e uma alegria para o seu dono, e vice-versa!