Quão fácil é cuidar do kinguio (peixe-dourado)

O peixe-dourado, também conhecido como “kinguio” ou pelo termo em inglês “goldfish”, é um dos peixes mais comercializados para aquários de água doce. São ditos como muito resistentes e fáceis de cuidar, e são indicados como sendo ótimos peixes para aquaristas iniciantes ou amadores, inclusive crianças. Mas isso não é exatamente verdade.

Se você já leu um pouco sobre os kinguios em outros sites, já deve ter visto que eles crescem bastante, até os 30 cm, ficando muito maiores do que os que vemos nas lojas de aquarismos ou pet shops. Portanto, devem ser colocados em um aquário grande, com no mínimo 150L, adicionando 40L para cada exemplar que colocar posteriormente. Lembre-se que, quanto mais enfeites houver no aquário, menor será o volume de água, sendo preciso então, mais do que 150L.

Apesar de serem peixes de água fria, como afirmam muitos sites, isso não significa que o seu aquário de kinguios não precise de um termostato. Deve-se manter a temperatura da água sempre entre 15 °C e 28 °C. Em temperaturas acima ou abaixo dos limites podem levar seu peixe à óbito, então se você já teve kinguios que morreram de repente, esse pode ter sido um dos motivos.

Mas antes de comprar os peixes é sempre importante montar o aquário e deixá-lo “funcionando” sem os peixes por um mês. Esse processo, apesar de parecer exagerado ou sem sentido, elimina componentes químicos presentes na água que podem fazer mal à saúde do seu peixe. Caso sua meta seja ter kinguios por vários anos, é essencial que a ciclagem seja feita corretamente, se não, poderá perdê-los pouquíssimo tempo pós colocá-los no aquário.

Os kinguios também produzem muitos dejetos, sendo assim, para manter a água sempre limpa deve-se usar uma filtragem adequada. O filtro além de ser suficientemente potente para filtrar 10 vezes a quantidade de água do aquário por hora, deve ter cerâmica ou carvão para produzir bactérias benéficas que ajudam a regular a água, além do perlon, que filtra os resíduos maiores. Também deve ser feita a troca de 30% da água a cada 15 dias.

Não se deve, nunca, esvaziar o aquário e limpá-lo com água e sabão. Ao fazer isso, você não só acaba com toda a biologia natural do ambiente, como pode deixar acidentalmente resíduos químicos na água que não farão bem para o peixe.

Kinguios são calmos mas comem tudo o que cabe em suas bocas, sendo assim, é melhor não colocá-los com peixes muito pequenos ou agitados, e é comum que tais peixes acabem mordiscando a cauda dos kinguios e ferindo-os.

Além disso, os peixes-dourados podem comer plantas e até mesmo as pedrinhas do cascalho, o que pode causar problemas intestinais levando o animal a óbito também. O ideal caso queira colocar plantas, é colocar as de folhas largas para que eles não as comam completamente. Em relação ao substrato, a opção mais segura é a areia para aquário.

É preciso também estar atento à qualquer decoração que queira colocar no aquário, rochas muito pontudas ou plantas artificiais podem feri-los ou até mesmo rasgar suas caudas. Caso seu kinguio seja do tipo bolha ou celestial, deve-se tirar qualquer objeto não essencial, ou seja, qualquer rocha, decoração e até mesmo plantas, são espécies muito delicadas devidos às suas características físicas.

Uma das doenças mais comuns em kinguios é na bexiga natatória. Ela faz com que o peixe não consiga nadar direito e fique flutuando de lado ou de ponta cabeça. Isso pode ser evitado com a alimentação apropriada. A ração em flocos, aquelas que parecem papeizinhos coloridos, é indicada apenas para peixes pequenos que comem na superfície, o que não é o caso do kinguio.

Os kinguios são peixes de “pastagem”, que gostam de revirar e comer o que está no fundo do aquário, então, dê preferência a rações que afundem. Outra opção é deixar a ração granulada de molho por 5 min antes de dar ao peixe. Isso fará com que ela expanda e afunde evitando que o peixe tenha problemas na bexiga natatória.

Também é aconselhável manter a qualidade da água em dia, para isso, é necessário fazer regularmente testes de amônia, nitrito, nitrato e pH. Você encontra facilmente em petshops ou casas de aquarismos os materiais necessários para essas medições.

Lembre-se que cada tipo de peixe vive em um habitat diferente do outro e, para termos esses peixes em nossas casas devemos simular da melhor forma possível seu ambiente natural, para que assim, ele possa viver de forma saudável por todos os seus dez ou mais anos de vida.

Podemos então, afirmar que o kinguio não é um peixe tão fácil de cuidar. Caso não tenha muita experiência e mesmo assim quiser um, procure pelo kinguio comum, pode não ser o mais exuberante mas é a espécie com mais chances de sobreviver em um aquário amador. Quanto mais exótico for o peixe, mais cuidados serão necessário, já que são espécies mais suscetíveis a se ferirem ou a terem problemas de saúde.

Pode ser que já tenha conhecido alguém com um aquário cheio de peixes de várias espécies e que todos pareçam se dar bem sem precisar de um aquário tão grande ou tantos cuidados mas, às vezes as coisas não são como parecem. Peixes grandes em aquários pequenos sofrem por toda a vida. Não é verdade que eles crescem de acordo com o tamanho do aquário, o que ocorre de fato, é que em aquários pequenos, seus corpos ficam atrofiados.

Além disso, podem sofrer de estresse por estar em um ambiente muito cheio. Imagine que você more em uma casa pequena, junto com várias outras pessoas com quem passa o dia todo esbarrando. Não é porquê eles estão vivos que estão tendo uma boa vida.

Se quer ter um animal de estimação, é importante considerar se possui as condições e o cuidado necessário para proporcionar a ele um estilo de vida feliz e saudável, sem importar seu tamanho ou a espécie.

Tipos de kinguio

Durante séculos os kinguios foram peixes muito populares e por motivos desconhecidos, criaram-se variações cada vez mais “exóticas”. Algumas delas, por suas características exacerbadas, precisam de muitos cuidados.

As espécies exóticas não devem ser em momento algum, misturadas com outros peixes, nem mesmo com kinguios de outras espécies. Existem centenas de espécies exóticas, abaixo, separamos algumas das mais populares.

Kinguio comum

Kinguio comum

CC BY WikiMedia

É o mais parecido com a carpa, seu ancestral. Dado que não foi modificado para possuir características exageradas, acaba por ser o mais resistente dos kinguios.

Kinguio cometa

Kinguio cometa

Imagem de Hans Braxmeier - Pixabay

É muito parecido com o comum, mas suas nadadeiras são maiores e sua cauda mais bifurcada. É uma das variações mais resistentes (justamente por ser pouco modificado) e, assim como o kinguio comum, também pode ser mantido em lagos.

Kinguio véu

Kinguio véu

Xocolatl CC0 - WikiMedia

É uma das variedades mais parecidas com o kinguio comum, mas suas nadadeiras são bem mais longas. Por isso, já exige algum cuidado especial. Por exemplo, é preciso ser atencioso ao escolher os elementos do aquário, para que não machuquem sua cauda e fique sempre bonita.

Kinguio telescópio

Kinguio telescópio

Telescope goldfish Annie Roi CC BY 2.0 - Flickr

Possui olhos saltados e não enxerga bem, além disso, seus olhos são suscetíveis a infecções.

Kinguio celestial

Kinguio celestial

Celestial goldfish Michelle Jo CC-BY-3.0 WikiMedia

Além de seus olhos serem saltados, são virados para cima, tornando o peixe quase cego. Também não possui nadadeira dorsal, o que dificulta sua mobilidade.

Kinguio pérola

Kinguio pérola

Kinguio pérola: Paulo O CC BY2.0 - Flickr

Sua barriga parece que está constantemente inchada e possui escamas muito maiores e mais grossas — que supostamente lembrariam o aspecto de pérolas.

Kinguio bolha

Kinguio bolha

Kinguio bolha Rob S CC BY-NC-ND 2.0 - Flickr

A principal característica dessa variação é a enorme bolsa contendo liquido embaixo dos olhos, que vão crescendo junto com o peixe. Tais bolsas são extremamente sensíveis e se rompem com facilidade. Por isso, é necessário escolher com muito cuidado tudo o que será colocado no aquário, para não machucá-lo. Também é necessário protegê-las do tubo de captação de água do filtro, para que não sejam sugadas. Além disso, estes kinguios não possuem nadadeira dorsal, o que dificulta ainda mais sua natação.

Kinguio cabeça de leão

Kinguio cabeça de leão

Kinguio Cabeça de leão Melanochromis WikiMedia

Possui um capuz carnudo em volta de toda cabeça — o que dificulta sua visão — e não possui nadadeira dorsal, atrapalhando sua natação. Sendo assim, uma espécie muito sensível e lenta.

Kinguio oranda

Kinguio oranda

Oranda Toshiro Gamo CC BY-NC-ND 2.0 - Flickr

Assim como o cabeça-de-leão, possuem um bulbo carnudo, mas apenas no topo da cabeça.

Ryukin

Ryukin

Ryukin Ting Chen CC BY 2.0 - Flickr

Pode ser parecido com o kinguio-véu, mas possui uma corcunda elevada e um corpo mais arredondado.


Leia mais em: Aquarismo Paulista