Conheça a família dos preás e das capivaras

As capivaras, pacas, cutias e porquinhos-da-índia fazem parte de um grande grupo chamado Cavioidea.Na biologia, esse grupo é chamado de superfamília. Dentro dele superfamília, existem mais de 30 espécies de animais descritas, com a mais extraordinária diversidade em comportamento, habitat, morfologia e estratégias de sobrevivência divididos em 4 famílias menores que compõem a fauna brasileira. A mais diversa delas, é a chamada Caviidae, da qual falaremos hoje.

A família Caviidae se divide em três grupos menores — chamados subfamílias — porém, apenas duas ocorrem no Brasil. Uma delas é a dos preás (que chamamos de Caviinae). Essa subfamília, por sua vez, se divide em dois gêneros distintos: Galea e Cavia. Apesar de cada gênero possuir animais de espécies diferentes, todos eles são popularmente conhecidos como preás.

Gênero: Galea

Originalmente, foram descritas quatro espécies muito parecidas entre si. Mas através de estudos genéticos, foi proposto que, na verdade, existam somente duas, com apenas o Galea spixii ocorrendo no Brasil, nas áreas de cerrado e caatinga.

Espécie: Galea spixii

Preá galea spixii

Preá (G. spixii). Imagem de Norton Santos via inaturalist

O G. spixii é um preá silvestre do semi-árido e um dos mamíferos mais abundantes da caatinga, encontrado na região nordeste do Brasil e nos estados do Mato Grosso, Goiás e norte de Minas Gerais. Tem hábito crepuscular e vive em bandos. Além de folhas e plantas rasteiras, também se alimenta de ramos, tubérculos e cascas de árvores jovens.

Gênero: Cavia

Apesar de diferirem dos preás do gênero Galea, esses animais também são popularmente conhecidos pelo mesmo nome. É o gênero ao qual pertencem cerca de 9 espécies (inclusive os porquinhos-da-índia), sendo que 4 podem ser encontradas no Brasil. Por serem animais pouco estudados, seus números ainda não são exatos, podendo haver futuras mudanças nas estimativas sobre suas populações, além de alterações em suas classificações como espécies ou subespécies.

Espécie: Cavia intermedia

Preá Cavia aperea. Sua morfologia é semelhante à dos porquinhos-da índia porém seu pelo é totalmente castanho.

Preá (C. aperea). Imagem de Gustavo Fernando Durán via inaturalist

Uma das espécies desse gênero é a Cavia intermedia. Esses pequenos roedores foram descobertos recentemente no arquipélago de Moleques do Sul, no estado de Santa Catarina — o único lugar que habitam. A ilha em que foram encontrados possui cerca de 10 hectares. Entretanto, boa parte do terreno é rochoso, deixando apenas 1 hectare disponível para esses animais sobreviverem.

São um dos animais mais raros do mundo e estima-se que sua população seja de no máximo 50 indivíduos, considerada em perigo crítico de extinção. Com tão poucos indivíduos, praticamente não há mais diversidade genética — o que normalmente levaria a doenças e deformações genéticas, podendo causar a extinção da espécie. No entanto, a espécie conseguiu superar esse obstáculo e a deformação causada pelo endocruzamento já não existe. O fato de esses animais viverem tão bem em um grupo e espaço tão pequenos foi motivo de grande surpresa na comunidade científica.


A segunda subfamília de Cavideos encontrados no Brasil é a Hydrochoerinae. Fazem parte dela os gêneros das capivaras (Hydrochoerus) e os mocós (Kerodon).

Gênero: Hydrochoerus

Existem duas espécies de capivaras: a capivara brasileira e a capivara-menor – que até 1991 pensava-se ser uma subespécie. A capivara-menor é encontrada em regiões da Colômbia, Venezuela e Panamá. Além disso, possui metade do tamanho da capivara conhecida no Brasil, com aproximadamente 25 kg apenas.

Espécie: Hydrochoerus hydrochaeris

Capivara Hydrochoerus hydrochaeris

Capivara (H. hydrochaeris). Imagem de Tambako The Jaguar via flickr

A capivara é sem dúvida um dos animais mais conhecidos do Brasil, habitando todo o território nacional, com exceção de parte da caatinga – em contraste com outros membros de sua família taxonômica. Outra característica distinta, é que as capivaras costumam passar a maior parte do dia forrageando plantas aquáticas dos lagos e rios e se escondem em tocas. Além disso, possuem membranas interdigitais que as tornam excelentes nadadoras. As capivaras são os maiores roedores do mundo, pesando em média 50 kg e medindo até 1,2 m de comprimento e 60 cm de altura.

Gênero: Kerodon

Existem duas espécies de mocós, uma delas (Kerodon acrobata) só pode ser encontrada no estado de Goiás e, possivelmente, no Tocantins. É uma espécie tão pouco conhecida que não há informações suficientes sobre seu estado de conservação.

Espécie: Kerodon rupestris

Mocó Kerodon rupestris sentado em uma rocha.

Mocó (K. rupestris). Imagem de Allan hopkins via flickr

Os mocós são um pouco maiores do que os preás, possuindo cerca de 40 cm e até 1 kg. Habitam toda a região da caatinga em áreas descampadas e pedregosas, onde se tornou alvo da caça ilegal. Segundo o Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção (ICMBio), suas populações diminuíram 30% nos últimos 30 anos, sendo provável que tenha sido extinto em algumas áreas não protegidas.

Os mocós podem ser classificados como herbívoros generalistas, já que se alimentam de folhas, flores, frutos, brotos de ramos. Quando a vegetação encontra-se seca e escassa os mocós passam a se alimentar de cascas de árvores como mofumbo, parreira brava e faveleira, conseguindo pular de galho em galho à procura de seu alimento. No entanto, como segunda opção, também costumam se alimentar de gramíneas.


As cutias, pacas e pacaranas são parentes um pouco mais distantes das capivaras. Apesar de serem animais de certa forma semelhantes, fazem parte de famílias diferentes. Serão apresentadas na continuação deste texto.


Leia mais em:

Comportamento e organização social do preá Cavia intermedia, uma espécie endêmica das Ilhas Moleques do Sul, Santa Catarina

Revisão Taxonômica do Gênero Galea Meyen, 1832 (Rodentia, Caviidae, Caviinae)

Cavia aperea Brazilian guinea pig

Espécie de preá sobrevive sem variedade genética

Origem e Distribuição Intraparenquimal da Artéria Hepática do Preá (galea Spixii Wagler, 1831)

Phylogenetic Relationships, Ecological Correlates, and Molecular Evolution Within the Cavioidea (Mammalia, Rodentia)

Mocó - National Geographic

Mocó

Ecologia de Kerodon acrobata (Rodentia: Caviidae) em fragmentos de mata seca associados a afloramentos calcários no Cerrado do Brasil central

Filogeografia e citogenética do gênero Kerodon (CUIVER, 1825) (RODENTIA: CAVIIDAE)