O que você precisa saber antes de comprar uma cobra do milho

Se você está procurando por um animal de estimação diferente de cão, gato, coelho e peixe, sua próxima alternativa é cuidar de um réptil. Por muitos deles terem uma natureza calma é de se esperar que seja muito mais fácil de cuidar do que um cão por exemplo, afinal, não tem que dar, banho, levar pra passear, tomar vacina e etc. Mas ao contrário do quem pensam, répteis podem precisar de vários cuidados. A seguir você encontrará algumas dicas de como cuidar bem de uma cobra do milho.

A cobra-do-milho não é venenosa e não costuma morder. Tem um temperamento calmo, belas cores, e seu cuidado relativamente simples faz com que muitos a tenham como animais de estimação.

As adultas tem um comprimento entre 61 e 182 cm e podem viver por até 20 anos ou mais em cativeiro. Ou seja, se não estiver disposto a cuidar de uma cobra pelos próximos 20, esse pode não ser o melhor animal de estimação para você.

Cobras-do-milho são carnívoras, e na natureza, comem a cada poucos dias. A maioria delas comem roedores pequenos, mas podem também subir árvores para achar ovos de pássaro ou pintinhos não-vigiados. Por isso, são consideradas uma espécie semi-arbóreo.

Imagem de Onkel Ramirez por Pixabay

Sendo um animal de sangue frio, a cobra do milho vive em ambiente quente e bem úmido, precisa de calor e iluminação para poder sobreviver, especialmente para realizar a digestão e consomem muita água, então, é recomendado deixar uma vasilha com grande quantidade à disposição. A temperatura e a umidade devem variar de 23 a 30º C e 50 a 60%. É sempre importante manter as características de seu habitat natural para que ela não fique doente.

As serpentes são relativamente baratas, mas lembre-se há um custo significativo para investir no equipamento apropriado. O espaço para uma cobra deve ser compatível com o seu tamanho. Locais muito grandes podem contribuir para o estresse do animal, principalmente quando ainda são filhotes. O local deve ser equipado com lâmpadas aquecedoras, onde a cobra adquire o calor para a digestão. Além disso, termômetros para controle de temperatura e esconderijos para a época de hibernação, como troncos, raízes, etc. O substrato para um terrário pode ser húmus, lascas de madeira ou até mesmo papel toalha.

É recomendado que um terrário para um adulto tenha 1,20 cm de comprimento, 80 cm de largura e 50 cm de altura, o que permite à uma cobra adulta mais espaço para se exercitar. Quando filhotes devem ser mantidas em um faunário forrado com papel toalha ou jornal. A ventilação é outro fator importante, a parte de cima do terrário deve de ter ventilação para que haja entrada de ar fresco, use uma malha de rede fina bem presa para evitar as fugas, já que são verdadeiras mestras nisso. Elas conseguem passar por buracos muito pequenos e até mesmo abrir a tampa do terrário, empurrando-o. Donos inexperientes perdem mais cobras desta espécie devido a fugas do que morte por doença, então certifique-se de que o terrário é à prova de fuga.

As cobras trocam de pele a cada mês ou dois meses e a troca dura de três a cinco dias. Se a cobra apresenta algum ferida física, irá fazer o ciclo de muda de pele mais rápido para reparar os “danos”. É fácil notar quando a cobra começa a mudar a pele, uma vez que os olhos tornam-se enevoados e azulados. Se a cobra for mantida num terrário com boas condições, com pedras ou troncos onde ela se possa roçar para retirar a antiga pele, então o animal não irá ter dificuldades em fazer a muda. Neste período é recomendado o aumento da humidade do terrário para 75%, e pode ser feita borrifando água, isso facilita a troca de pele.

Imagem de Frauke Feind por Pixabay
Antes de adquirir o animal, verifique se o vendedor responsável tem a autorização do IBAMA.

Primeiramente, vamos explicar o porquê é preciso ter a autorização. Vamos supor que uma cadela tenha tido uma ninhada de 6 filhotes. Logo após nascerem eles são tirados da mãe e colocados em uma caixa de sapato junto com mais 50 filhotes, e do lado, em cima e em baixo dessa caixa tenham mais e mais caixas de filhotes nas mesmas condições, viajando por oras de um estado para outro ou até mesmo, de um país para o outro. Ao chegar em seu destino, apenas 3 daqueles filhotinhos sobreviveram e serão vendidos para alguém que provavelmente não tem muita experiência em cuidar de cães.

Pode ser que a cobra que queira já tenha nascido em cativeiro. Mas comprando de um vendedor sem autorização, você está indiretamente contribuindo para o tráfico ilegal, crueldade com animais e até mesmo com a possibilidade desse animal deixar de existir na natureza devido à captura excessiva. Como já aconteceu com vários outros animais.

Então, esteja atento às atividades da loja ou do criador responsável, fechando negócio apenas se tiver certeza de que a venda seja autorizada e legalizada pelo IBAMA (que garante que o animal sempre foi bem cuidado desde antes de nascer, até a venda).

Como qualquer outro ser vivo, a criação de um pet exótico exige muita responsabilidade, tempo e aplicações financeiras. Então, é muito importante pensar bem antes de adquirir o animal, descartando qualquer razão banal. Vale ressaltar que nem todas as clínicas veterinárias são especializadas em animais exótico, então, antes de levar o pet para casa, verifique a disponibilidade de possíveis profissionais na sua região.


Leia mais em:

Revista My Pet - Como criar uma corn snake

Canal do Pet - Cobra do milho

Wikiwand - Cobra do milho