Os vários tipos de bicos das aves

O Brasil é o terceiro país com a maior diversidade de aves, com aproximadamente 1.971 espécies registradas até o momento, sendo que 293 são encontradas exclusivamente no Brasil. Algumas aves – como as galinhas, passam a maior parte do tempo vasculhando a terra e quase não voam, subindo apenas nos poleiros mais fáceis de alcançar. Os andorinhões no entanto, costumam viver em alto-mar e podem voar milhares de quilômetros sem descansar.

A variação morfológica das aves é tão grande que as permitiu ocupar com sucesso praticamente todos os nichos ecológicos disponíveis. Tamanha variedade vem acompanhada das mais diversas características comportamentais e físicas, adaptadas para o modo de vida de cada espécies. O bico das aves é uma das principais estruturas que se adaptaram de acordo com a capacidade de explorar o ambiente e captura e apreensão de alimentos.

Os tipos de bicos podem variar de acordo com o canto, formas de defesa, termorregulação e principalmente, aos hábitos alimentares. Portanto, há passarinhos com bicos de apenas alguns milímetros até aves com bicos enormes como os tucanos e araçaris. Através de observações feitas a partir do tipo de cada bico, podemos classificar as aves em dois grupos: as generalistas e as especialistas.

As aves generalistas são onívoras e consomem os mais variados tipos de alimentos. Os bem-te-vis por exemplo, tem o comportamento similar aos das gralhas e pombos, comendo frutas, insetos, aracnídeos, pequenos anfíbios, mamíferos, répteis, peixes e até mesmo, filhotes de outros passarinhos.

Bem-te-vi ave generalista, onívora comendo um sapo. Seu bico é adaptado para capturar vários tipos diferentes de alimento.

Bem-te-vi. Imagem de Gregoire Dubois via flickr

Já as aves especialistas, são as que pelo menos 50% de sua dieta se baseia em um tipo específico de alimento. Dentro dessa categoria estão as aves:

Insetívoras

Andorinha-pequena-de-casa ave insetívora. Seu bico fino e pequeno é adaptado para a captura de pequenos insetos.

Andorinha-pequena-de-casa. Imagem de Ana Carla Azevedo via flickr

São aves como as andorinhas que se alimentam de insetos que capturam em pleno voo. A maioria dos pássaros com essa dieta possuem o bico fino e relativamente pequeno. O pica-pau porém, evoluiu de uma maneira diferente. Seu bico é grosso e resistente para quebrar casca das árvores, e sua enorme língua – até 5 vezes maior que o seu bico, ajuda a alcançar os insetos escondidos.

Frugívoras

Duas araras-azuis. Seus bicos curvos e resistentes são adaptados para quebrar frutos duros.

Arara-azul. Imagem de Ana Cotta via flickr

São as aves comem frutas, como araras e papagaios. Possuem o bico curvo e forte, para quebrarem frutos e sementes duras. Os tucanos no entanto, possuem um bico grande porém leve, usado para coletar frutos nas pontas dos galhos de difícil acesso.

Piscívoras

Garça, ave piscívora. Seu bico longo e fino é adaptado para capturar rapidamente os peixes dentro da água.

Garça-branca. Imagem de Bernard Spragg via flickr

Se alimentam principalmente de peixes, como as garças, biguás e atobás. Seus bicos finos e longos são perfeitos para alcançar e capturar suas presas com mais facilidade. Algumas aves que fazem parte dessa categoria, também possuem pequenas serrilhas em seu bico que ajudam a impedir que o peixe escape.

Filtradoras

Colhereiro, filtra seu organismos aquáticos através do seu bico

Colhereiro. Imagem de Valerie via flickr

São aves como os flamingos e colhereiros que se alimentam de pequenos peixes, crustáceos, insetos, algas e moluscos. Seus bicos possuem uma espécie de peneira adaptada para filtrar apenas o alimento entre os resíduos do fundo dos rios e lagos.

Limícolas

Maçarico-branco, ave que se alimenta  no limo e lodo. Frequentemente vista procurando invertebrados na areia da praia. Suas pernas e seu bico longo servem para que a ave fique fora da água enquanto procura por alimento.

Maçarico-branco. Imagem de Agustín Povedano via flickr

São por exemplo, os maçaricos e narcejas. Essas aves possuem pernas altas e bicos compridos para que possam vasculhar a areia e o lodo sem se molharem enquanto procuram por pequenos crustáceos que ficam enterrados. A maior parte destas espécies são migratórias e associadas a ambientes aquáticos, ocorrendo desde a costa até o interior.

Carnívoras

Harpia, ave de rapina. Usa seu bico em forma de gancho para rasgar a carne.

Harpia. Imagem de Andy Rogers via flickr

São as aves de rapina como os falcões, águias e gaviões que caçam outros animais. Seus bicos são adaptados para rasgar a carne de suas presas. O gavião-caramujeiro no entanto, possui um bico consideravelmente mais curvo dos que os outros de seu gênero. Essa é mais uma adaptação de acordo com seus hábitos alimentares, já que um bico maior e mais curvo torna a tarefa de tirar os caramujos (sua principal fonte de alimento) de dentro de suas conchas, muito mais fácil.

Carniceiras

Dois urubus-de-cabeça-preta. Se alimentam de animais em decomposição. Seu bico é mais fraco do que o das aves carnívoras portanto, têm dificuldade em rasgar o couro dos animais. O trabalho em grupo facilita essa tarefa.

Urubu-de-cabeça-preta. Imagem de Art. G via flickr

Ao contrário das aves carnívoras, as carniceiras não caçam sua presa e se alimentam de animais que encontram já mortos. Apesar de seus bicos em forma de gancho serem adaptados para rasgar a carne assim como as aves carnívoras, geralmente não são tão fortes e podem ter mais dificuldade para rasgar o couro dos animais, porém, como os urubus sempre comem em bando esse trabalho se torna mais eficiente.

Nectarívoras

Beija-flor - Besourinho-de-bico-vermelho. Seu bico longo e fino é adaptado para alcançar o néctar no fundo das flores.

Besourinho-de-bico-vermelho. Imagem de Jônatas Cunha via flickr

Alimentam-se de néctar como as cambacicas e os beija-flores. Seus bicos se tornaram alongados para facilitar a extração do néctar no fundo das flores. O tamanho, pode variar em comprimento e curvatura dependendo da espécie, se adaptando aos diferentes tamanhos e formas das flores.

Granívoras

Pardal. Possuem o bico cônico e forte adaptado para remover a casca das sementes.

Pardal-comum. Imagem de Mathias Appel via flickr

São as aves comedoras de matéria vegetal como gramíneas e pequenas sementes – como os canários, pardais e tizius. Possuem um bico triangular, onde as bordas cortantes descascam as sementes.

As aves especialistas, geralmente são as mais afetadas por mudanças climáticas e alterações ambientais feitas pelos humanos. Por mais que suas dietas muitas vezes não sejam exclusivamente um único tipo de alimento, a falta de certos componentes em sua dieta pode causar a insuficiência dos nutrientes necessários para sua subsistência.

O motivo de mais de 236 espécies estarem ameaçadas de extinção, é devido – em grande parte, à perda de habitat. Isso significa que os elementos que essas aves precisam para se alimentarem ou construírem seus ninhos, estão cada vez mais escassos, impedindo que as espécies prosperem adequadamente.


Leia mais em:

Planeta Aves

Wikiaves)

Livro vermelho da fauna brasileira ameaçada de extinção - Volume III - Aves

Lista comentada das aves do Brasil pelo Comitê Brasileiro de Registros Ornitológicos – 2ª edição

USP - Ornitologia básica